Aprendendo com a Natureza

O discípulo, a seu mestre espiritual:

- Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores! - advertiu o mestre.
- Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
- Repare nestas flores - continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim - Elas nascem no esterco. Entretanto, são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.

E o mestre conclui seu pensamento:

- É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem. Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimento. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.


3 comentários:



Celina disse...

Sim, Vania, querida.
Postei o comentário para que servisse de reflexão a meu filho, que não é adventista e que tem tido repetidas mostras da bondade de Deus para com ele, como vemos numa postagem do blog de meu filho Alessandro (veja o blog Laudate nos blogs que sigo). Não sei se o Moisés voltou a ver o rapaz que o ajudou e disse que trabalhava no prédio do lado, mas vou perguntar.
Agradeço pela escolha do post, poderá servir de reflexão para muitos outros. E vamos orar por nossos filhos, como fazia Jó.

Um abraço da
Celina

Celina disse...

Verdade, Cristo já disse "Não peço que os livres do mundo mas que os livres do mal."
Um abraço, Vânia.
Da
Celina

Kel Siqueira disse...

Raquel- serviu p mim esse texto! preciso n ser influenciada por comportamentos externos! q eu possa permitir ser ajudada por Deus nisso!
amo-te!

Blogger Templates