Quem é o meu próximo?


Amor: a Base da Lei

Tais ensinamentos eram estranhos e novos para os ouvintes de Jesus e por isso, Ele os repetiu muitas vezes. Certa vez, um doutor da lei veio à Sua presença e Lhe perguntou: "Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." Luc. 10:25-27. Em vez de arrepender-se, porém, buscou uma escusa para seu egoísmo. "Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo?" Luc. 10:29.

Sacerdotes e rabinos, com freqüência, discutiam sobre esse assunto. Não consideravam os pobres e os ignorantes como seu próximo e nem lhes dispensava bondade. Jesus não participou de suas discussões, mas respondeu com uma história que havia acontecido há algum tempo.

Certo homem, disse Ele, descia de Jerusalém para Jericó. O caminho era íngreme e pedregoso, através de uma região deserta e agreste. No meio da viagem foi assaltado por ladrões e despojado de tudo o que levava. Bateram nele e deixaram-no ferido e quase morto.

Enquanto ali estava, desceram pela mesma estrada primeiro um sacerdote e depois um levita do templo de Jerusalém, mas ao invés de ajudá-lo passaram pelo outro lado do caminho, ignorando-o.

Esses homens haviam sido escolhidos para ministrar no templo de Deus e deveriam ser como o Senhor a quem serviam, cheio de bondade e misericórdia, mas seus corações eram frios e insensíveis.

Depois de certo tempo, um samaritano se aproximou. Os samaritanos eram desprezados e odiados pelos judeus. Aos que pertenciam a esse povo, nada recebiam dos judeus, nem mesmo água para beber ou um pedaço de pão. Mas o samaritano não parou para pensar nisso. Nem mesmo cogitou que os assaltantes ainda poderiam estar por perto espreitando o caminho.

Ali jazia o pobre homem, sangrando e quase morto. O samaritano tirou sua túnica e nela envolveu o ferido.

Deu-lhe seu próprio vinho e tratou seus ferimentos com azeite. Depois colocou-o sobre o animal e levou-o a uma hospedaria, onde cuidou dele a noite toda.

No dia seguinte, antes de partir, pagou ao hospedeiro para que cuidasse dele até que se recuperasse. Assim narrou o fato; depois, voltando-se para o doutor da lei, perguntou-lhe: "Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores?" O doutor respondeu: "O que usou de misericórdia para com ele." Disse-lhe então Jesus: "Vai e procede tu de igual modo." Luc. 10:36 e 37.

Assim Jesus ensinou que qualquer pessoa que precisar de ajuda é nosso próximo. Devemos tratá-lo como gostaríamos de ser tratados.

O sacerdote e o levita pretendiam guardar os mandamentos de Deus, mas era o samaritano que realmente os guardava. Seu coração era terno e compassivo.

Ao socorrer o estranho ferido, ele havia demonstrado amor a Deus e ao próximo. É agradável ao Senhor que façamos o bem uns aos outros,pois assim demonstramos nosso amor a Ele e àqueles que nos cercam.

Um coração bondoso e compassivo vale mais do que todas as riquezas do mundo. Os que vivem para fazer o bem mostram que são filhos de Deus. Esses são os que habitarão com Cristo em Seu reino.

Fonte: Livro Vida de Jesus - Ellen White

1 comentários:



Celina Silva Pereira disse...

Olá, Vânia.
Bonita a mensagem: qualquer pessoa que necessita de ajuda é nosso próximo.
Abraço. Boa semana!
Celina

Blogger Templates